#cinebiografia Instagram Photos & Videos

cinebiografia - 2.6k posts

Top Posts

  • FELIZ ANO MARX! 
2018 é o bicentenário de Marx e a Boitempo prepara muitos livros e eventos. A começar pela promoção do filme "O JOVEM MARX", atualmente em exibição nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. 
Ao longo do filme são citadas diversas obras de Marx. Conseguimos contar ao menos dez títulos! E vocês?

#LeiaMarx #Boitempo
  • FELIZ ANO MARX!
    2018 é o bicentenário de Marx e a Boitempo prepara muitos livros e eventos. A começar pela promoção do filme "O JOVEM MARX", atualmente em exibição nos cinemas de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.
    Ao longo do filme são citadas diversas obras de Marx. Conseguimos contar ao menos dez títulos! E vocês?

    #LeiaMarx #Boitempo
  • 1,091 18 1 January, 2018
  • JÁ NOS CINEMAS

Estreou no Brasil no dia 28 dezembro a cinebiografia da juventude de Karl Marx, dirigida pelo cineasta haitiano Raoul Peck (diretor do documentário indicado ao Oscar “Eu não sou seu negro”). O longa será exibido em salas de cinema de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Se você mora em outra cidade e gostaria de assistir ao filme no cinema, peça para as salas de exibição locais incluírem o filme em sua programação! ★ ANO MARX ★

Principal editora das obras de Marx no Brasil e referência internacional por suas edições traduzidas diretamente dos originais, a Boitempo lançará mais de dez títulos como parte do Ano Marx, além de uma série de atividades culturais em todo o país sobre a urgência de retornar ao pensamento de um dos filósofos mais importantes da história mundial. Em breve divulgaremos mais detalhes!

#LeiaMarx #oJovemKarlMarx #CaliforniaFilmes #Marx #KarlMarx #Engels #FriedrichEngels #marxismo #filme #cinema #cinebiografia #Boitempo
  • JÁ NOS CINEMAS

    Estreou no Brasil no dia 28 dezembro a cinebiografia da juventude de Karl Marx, dirigida pelo cineasta haitiano Raoul Peck (diretor do documentário indicado ao Oscar “Eu não sou seu negro”). O longa será exibido em salas de cinema de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Se você mora em outra cidade e gostaria de assistir ao filme no cinema, peça para as salas de exibição locais incluírem o filme em sua programação! ★ ANO MARX ★

    Principal editora das obras de Marx no Brasil e referência internacional por suas edições traduzidas diretamente dos originais, a Boitempo lançará mais de dez títulos como parte do Ano Marx, além de uma série de atividades culturais em todo o país sobre a urgência de retornar ao pensamento de um dos filósofos mais importantes da história mundial. Em breve divulgaremos mais detalhes!

    #LeiaMarx #oJovemKarlMarx #CaliforniaFilmes #Marx #KarlMarx #Engels #FriedrichEngels #marxismo #filme #cinema #cinebiografia #Boitempo
  • 1,330 38 29 December, 2017
  • Nessa hora @rodrigosantoro elogiava meu espanhol porque dirigi uma pergunta ao diretor Rodrigo Barriuso na língua nativa dele.

É aí o Rodrigo brincou Ahhhh hablas español!!!! E seguimos tirando a foto!

Entrevista deliciosa, marcante para entender os processos de construção da história, dos personagens e principalmente como Rodrigo aprendeu a falar Russo e como os diretores fizeram as composições! Com certeza uma aula de arte e pra quem se encanta facilmente pelo meio como eu, foi enriquecedor!

Día 04 de Abril nos cinemas estreia O Tradutor filme tocante e com excelente elenco e atuações promissoras!

#instanovidade #lançamento #dicadagigi #cinema #arte
#setimaarte #cultura #entretenimento #filmes
#inesquecivel #rodrigosantoro
#cinebiografia #novidades
  • Nessa hora @rodrigosantoro elogiava meu espanhol porque dirigi uma pergunta ao diretor Rodrigo Barriuso na língua nativa dele.

    É aí o Rodrigo brincou Ahhhh hablas español!!!! E seguimos tirando a foto!

    Entrevista deliciosa, marcante para entender os processos de construção da história, dos personagens e principalmente como Rodrigo aprendeu a falar Russo e como os diretores fizeram as composições! Com certeza uma aula de arte e pra quem se encanta facilmente pelo meio como eu, foi enriquecedor!

    Día 04 de Abril nos cinemas estreia O Tradutor filme tocante e com excelente elenco e atuações promissoras!

    #instanovidade #lançamento #dicadagigi #cinema #arte
    #setimaarte #cultura #entretenimento #filmes
    #inesquecivel #rodrigosantoro
    #cinebiografia #novidades
  • 107 11 22 March, 2019
  • MARIGHELA. WAGNER MOURA

Marighela,  primero trabalho de Wagner Moura na direção, foi selecionado para o festival de Berlim, onde fará sua estreia. 
O filme, uma cinebiografia com muita ação,  conta a história de Carlos  Mariguela, líder de guerrilha urbana, nos anos 60, durante a ditadura no Brasil.

O protagonista será interpretado por Seu Jorge e o elenco ainda conta com Adriana Esteves, Humberto Carrão e Bruno Gagliasso.

O projeto está envolto em polêmicas desde seu início, tendo o, agora diretor, sofrido diversas ameaças ao longo de todo o processo. As polêmicas não devem parar por aí, o próprio Moura já disse esperar o ódio da direita e duras críticas da esquerda. Ele afirmou também que o filme é um exemplo de resistência sobretudo para os jovens negros. 
#marighela #Carlosmarighela #wagnermoura #cinebiografia #Seujorge #festivaldeberlim #resistência #cinema #ratoscast #ratosdecinema #polêmica #cinemanacional #cinemabrasileiro
  • MARIGHELA. WAGNER MOURA

    Marighela, primero trabalho de Wagner Moura na direção, foi selecionado para o festival de Berlim, onde fará sua estreia.
    O filme, uma cinebiografia com muita ação, conta a história de Carlos Mariguela, líder de guerrilha urbana, nos anos 60, durante a ditadura no Brasil.

    O protagonista será interpretado por Seu Jorge e o elenco ainda conta com Adriana Esteves, Humberto Carrão e Bruno Gagliasso.

    O projeto está envolto em polêmicas desde seu início, tendo o, agora diretor, sofrido diversas ameaças ao longo de todo o processo. As polêmicas não devem parar por aí, o próprio Moura já disse esperar o ódio da direita e duras críticas da esquerda. Ele afirmou também que o filme é um exemplo de resistência sobretudo para os jovens negros.
    #marighela #Carlosmarighela #wagnermoura #cinebiografia #Seujorge #festivaldeberlim #resistência #cinema #ratoscast #ratosdecinema #polêmica #cinemanacional #cinemabrasileiro
  • 237 23 3 February, 2019
  • PiTacO do PapO! (Amanhã nos Cinemas)
.
.
(...) Contudo, mesmo com esses percalços , não dá pra negar que a condução de Aranoa tenha cumprido com desenvoltura seu papel dentro dos quase 120 min de filme - a narração dentro do ponto de vista de Virginia contribuiu para o bom ritmo. O filme inclusive é uma adaptação da própria jornalista : o livro 'Amando Pablo, Odiando Escobar' é mais uma dentre tantas as possibilidades de se explorar a história desse homem que foi herói e vilão ao mesmo tempo (...)
.
Pra saber o que achamos da cinebio, vem de blog! ;) https://papodecinemateca.blogspot.com/2018/08/pitaco-do-papo-escobar-traicao-2018.html
.
.
#escobaratraição #lovingpablo #critica #javierbardem #penelopecruz #instafollow #tagsforlikes #californiafilmes #pabloescobar #cinebiografia #noscinenas #instagramer #pitacodopapo
  • PiTacO do PapO! (Amanhã nos Cinemas)
    .
    .
    (...) Contudo, mesmo com esses percalços , não dá pra negar que a condução de Aranoa tenha cumprido com desenvoltura seu papel dentro dos quase 120 min de filme - a narração dentro do ponto de vista de Virginia contribuiu para o bom ritmo. O filme inclusive é uma adaptação da própria jornalista : o livro 'Amando Pablo, Odiando Escobar' é mais uma dentre tantas as possibilidades de se explorar a história desse homem que foi herói e vilão ao mesmo tempo (...)
    .
    Pra saber o que achamos da cinebio, vem de blog! ;) https://papodecinemateca.blogspot.com/2018/08/pitaco-do-papo-escobar-traicao-2018.html
    .
    .
    #escobaratraição #lovingpablo #critica #javierbardem #penelopecruz #instafollow #tagsforlikes #californiafilmes #pabloescobar #cinebiografia #noscinenas #instagramer #pitacodopapo
  • 121 1 22 August, 2018

Latest Instagram Posts

  • CONFIRA, este que é o mais novo trailer oficial do longa ; " ENQUANTO ESTIVERMOS JUNTOS ". _
_
O Filme que é protagonizado pela dupla, @kjapa e @brittlrobertson e é inspirado em fatos reais sobre a vida do cantor Norte-Americano JEREMY CAMP, abordando a sua jornada de amor e perda. _
_
A prévia do filme traz o seu foco em tais temas, para reforçar a emocionante trajetória pessoal e da história de vida do cantor ( que no longa será vivido pelo ator, K.J.APA ), ao se apaixonar pela jovem e bela, Melissa Henning ( Britt Robertson ) e com isso travar uma inesperada batalha, lutando contra o tempo, em busca de viver intensamente este amor. _
_
O longa estreia nos cinemas brasileiros em 2 de Abril deste ano de 2020 e o trailer completo do filme você pode conferir dentro de alguns instantes aqui no @igtv.0 da Página ! _
_
CORRE LÁ E CONFIRA ! *
*
*
ANSIOSOS ? ✔
✔
#movie #cinema #cinebiografia #cantor #NorteAmericano #baseadoemfatosreais #EnquantoEstivermosJuntos #TrailerOficial #Trailer #datadelançamento
  • CONFIRA, este que é o mais novo trailer oficial do longa ; " ENQUANTO ESTIVERMOS JUNTOS ". _
    _
    O Filme que é protagonizado pela dupla, @kjapa e @brittlrobertson e é inspirado em fatos reais sobre a vida do cantor Norte-Americano JEREMY CAMP, abordando a sua jornada de amor e perda. _
    _
    A prévia do filme traz o seu foco em tais temas, para reforçar a emocionante trajetória pessoal e da história de vida do cantor ( que no longa será vivido pelo ator, K.J.APA ), ao se apaixonar pela jovem e bela, Melissa Henning ( Britt Robertson ) e com isso travar uma inesperada batalha, lutando contra o tempo, em busca de viver intensamente este amor. _
    _
    O longa estreia nos cinemas brasileiros em 2 de Abril deste ano de 2020 e o trailer completo do filme você pode conferir dentro de alguns instantes aqui no @igtv.0 da Página ! _
    _
    CORRE LÁ E CONFIRA ! *
    *
    *
    ANSIOSOS ? ✔

    #movie #cinema #cinebiografia #cantor #NorteAmericano #baseadoemfatosreais #EnquantoEstivermosJuntos #TrailerOficial #Trailer #datadelançamento
  • 11 0 19 February, 2020
  • Filmes que me marcaram 46/366: Bohemian Rhapsody (2018)

Vencedor de quatro Oscars, incluindo o de melhor ator para Rami Malek, o filme é uma biografia dramática sobre Freddie Mercury, vocalista da banda Queen. Um espetáculo cinematográfico imperdível, principalmente para os fãs do bom e velho rock. 
#freddiemercury 
#Queen
#bohemianrhapsody 
#ramimalek
  • Filmes que me marcaram 46/366: Bohemian Rhapsody (2018)

    Vencedor de quatro Oscars, incluindo o de melhor ator para Rami Malek, o filme é uma biografia dramática sobre Freddie Mercury, vocalista da banda Queen. Um espetáculo cinematográfico imperdível, principalmente para os fãs do bom e velho rock.
    #freddiemercury
    #Queen
    #bohemianrhapsody
    #ramimalek
  • 70 6 18 February, 2020
  • Judy Garland foi uma das maiores estrelas de Hollywood e uma das estrelas que começou muito nova. Judy, cujo nome real era Frances, passou a infância tomando remédios para controle do peso e aumento de produtividade. Obviamente, isso ocasionou um vício, do qual ela passou a vida lutando, juntamente com algumas tentativas de suicídio. Tudo isso foi bem representado entre algumas canções, flashes do passado e os problemas pessoais e de saúde que a atriz lidava. O recorte feito pelo filme pega justamente esse período conturbado que foi o final de sua vida.
.
Judy não é um musical, tem sim, algumas cenas com canções, mas de modo geral, o foco o longa é a vida por trás das câmeras e dos palcos. O longa tem um roteiro conciso, que não perde tempo em se aprofundar em outras áreas ou personagens da vida da atriz. Conforme o longa avança e os problemas de Judy aumentam, o filme ganha camadas e cada nova apresentação dela nos palcos ganha uma força maior.
.
Judy é um filme de atuação que apresenta uma faceta de uma estrela da Era de Ouro de Hollywood e consagra Renee Zellweger com um oscar de melhor atriz após 15 anos longe das premiações.
.
▶️Para ler a crítica completa, vai lá no blog! O link tá na bio!
.
.
#critica #filmes #movies #cinema #oscar #theoscars #reneezellweger #judy #judygarland #wizardofoz #magicodeoz #hollywood #hollywoodstars #estrelasdocinema #cinebiografia #biografia
  • Judy Garland foi uma das maiores estrelas de Hollywood e uma das estrelas que começou muito nova. Judy, cujo nome real era Frances, passou a infância tomando remédios para controle do peso e aumento de produtividade. Obviamente, isso ocasionou um vício, do qual ela passou a vida lutando, juntamente com algumas tentativas de suicídio. Tudo isso foi bem representado entre algumas canções, flashes do passado e os problemas pessoais e de saúde que a atriz lidava. O recorte feito pelo filme pega justamente esse período conturbado que foi o final de sua vida.
    .
    Judy não é um musical, tem sim, algumas cenas com canções, mas de modo geral, o foco o longa é a vida por trás das câmeras e dos palcos. O longa tem um roteiro conciso, que não perde tempo em se aprofundar em outras áreas ou personagens da vida da atriz. Conforme o longa avança e os problemas de Judy aumentam, o filme ganha camadas e cada nova apresentação dela nos palcos ganha uma força maior.
    .
    Judy é um filme de atuação que apresenta uma faceta de uma estrela da Era de Ouro de Hollywood e consagra Renee Zellweger com um oscar de melhor atriz após 15 anos longe das premiações.
    .
    ▶️Para ler a crítica completa, vai lá no blog! O link tá na bio!
    .
    .
    #critica #filmes #movies #cinema #oscar #theoscars #reneezellweger #judy #judygarland #wizardofoz #magicodeoz #hollywood #hollywoodstars #estrelasdocinema #cinebiografia #biografia
  • 19 0 15 February, 2020
  • Maggie Gyllenhaal vai encarar o papel de Gladys Presley, mãe do cantor Elvis Presley, na cinebiografia.
⠀
Se quiser ler esta matéria na íntegra comente "É ROCK NA LED" que te mandamos inbox!
⠀
#ledfm #elvis #cinebiografia #maggiegyllenhaal #rock
  • Maggie Gyllenhaal vai encarar o papel de Gladys Presley, mãe do cantor Elvis Presley, na cinebiografia.

    Se quiser ler esta matéria na íntegra comente "É ROCK NA LED" que te mandamos inbox!

    #ledfm #elvis #cinebiografia #maggiegyllenhaal #rock
  • 24 0 15 February, 2020
  • OSCAR 2020 🏆
E o Oscars de Melhor Atriz vai para Renée Zellweger, por sua atuação FANTÁSTICA em "Judy".
  • OSCAR 2020 🏆
    E o Oscars de Melhor Atriz vai para Renée Zellweger, por sua atuação FANTÁSTICA em "Judy".
  • 24 1 10 February, 2020
  • Mais um documentário de família do Estúdio Eon em produção. 
Porque toda história inspira novas histórias.

#somoseon #cinebiografia #familia
  • Mais um documentário de família do Estúdio Eon em produção.
    Porque toda história inspira novas histórias.

    #somoseon #cinebiografia #familia
  • 17 1 9 February, 2020
  • CINEBIOGRAFIA DE ELVIS PRESLEY
A cinebiografia de Elvis Presley dirigida por Baz Luhrmann adicionou um novo nome ao seu elenco de peso nesta sexta-feira (7). De acordo com o THR, Maggie Gyllenhaal (Batman: O Cavaleiro das Trevas) viverá Gladys, mãe do Rei do Rock, que será interpretado por Austin Butler. Ainda não há previsão de estreia para a cinebiografia de Elvis Presley, que também ainda não tem um título.
  • CINEBIOGRAFIA DE ELVIS PRESLEY
    A cinebiografia de Elvis Presley dirigida por Baz Luhrmann adicionou um novo nome ao seu elenco de peso nesta sexta-feira (7). De acordo com o THR, Maggie Gyllenhaal (Batman: O Cavaleiro das Trevas) viverá Gladys, mãe do Rei do Rock, que será interpretado por Austin Butler. Ainda não há previsão de estreia para a cinebiografia de Elvis Presley, que também ainda não tem um título.
  • 43 2 8 February, 2020
  • Vai virar filme! Cinebiografia do @kissonline chega em 2021, confirma empresário!

De acordo com o empresário Doc McGhee, a banda já encontrou um produtor para o filme e trabalha com a data de lançamento para o segundo semestre do ano que vem.

Além da cinebiografia, o grupo trabalha um documentário intitulado "Kisstory", que conta com gravações em vídeo raríssimas fornecidas pelos fãs.

Mais detalhes tu encontra no site webputz.com.br.

#wpnews #RolaNaWP #kiss #rock #musica #cinebiografia #cinema #filme #musica #farroupilha #serragaucha #radio #noticia
  • Vai virar filme! Cinebiografia do @kissonline chega em 2021, confirma empresário!

    De acordo com o empresário Doc McGhee, a banda já encontrou um produtor para o filme e trabalha com a data de lançamento para o segundo semestre do ano que vem.

    Além da cinebiografia, o grupo trabalha um documentário intitulado "Kisstory", que conta com gravações em vídeo raríssimas fornecidas pelos fãs.

    Mais detalhes tu encontra no site webputz.com.br.

    #wpnews #RolaNaWP #kiss #rock #musica #cinebiografia #cinema #filme #musica #farroupilha #serragaucha #radio #noticia
  • 18 0 7 February, 2020
  • FILME DE LYNYRD SKYNYRD 
Street Survivors: The True Story of the Lynyrd Skynyrd Plane Crash, filme que narra o trágico acidente aéreo que vitimou diversos membros da banda Lynyrd Skynyrd em 1977, teve sua data de lançamento em plataformas on demand, DVD e blu-ray para 30 de junho de 2020. O filme, que será exibido no dia 16 de fevereiro no Festival de Filmes Independentes de Hollywood Reel, será contado da perspectiva de Artimus Pyle, baterista do Lynyrd Skynyrd e um dos sobreviventes do acidente.
.
Via: Omelete
  • FILME DE LYNYRD SKYNYRD
    Street Survivors: The True Story of the Lynyrd Skynyrd Plane Crash, filme que narra o trágico acidente aéreo que vitimou diversos membros da banda Lynyrd Skynyrd em 1977, teve sua data de lançamento em plataformas on demand, DVD e blu-ray para 30 de junho de 2020. O filme, que será exibido no dia 16 de fevereiro no Festival de Filmes Independentes de Hollywood Reel, será contado da perspectiva de Artimus Pyle, baterista do Lynyrd Skynyrd e um dos sobreviventes do acidente.
    .
    Via: Omelete
  • 6 1 6 February, 2020
  • Cinema – “Judy” de Rupert Goold 
Costumo odiar filmes biográficos, porque apelam para um sentimentalismo barato, costumam tratar os objetos de análise de forma caricatural e unidimensional e em vias de regra tem um pésssimo roteiro e algumas vezes se pautam basicamente em uma boa interpretação. Dito isso, tava esperando que este filme fosse uma bomba sem precedentes, que só tentasse se salvar por meio da performance de Renée Zellweger, e foi basicamente esse o sentimento que eu tive no final da sessão, mas o q eu não contava é q em vez de acabar odiando filme e performance, a atriz conseguiu salvar o filme de uma morte horrível, mas no máximo o deixou respirando por aparelhos, o que já é um milagre, posto que o roteiro do filme é uma das piores cinebiografias que eu já vi (só não é pior que Bohemian Rhapsody. Rs). Dito isso, Renée merece o Oscar q virá e todos os outros prêmios que vieram com esse filme, pois entrega não uma reencarnação de Judy Garland, mas uma interpretação autêntica com seus maneirismos, forma de andar, falar, e até dançando e cantando, muito embora sua potência vocal não chegue aos pés de Judy.
Vamos ao enredo: Inverno de 1968. Com a carreira em baixa, Judy Garland (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres, por mais que tal trabalho a mantenha afastada dos filhos menores. Ao chegar ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.
O roteiro por sua vez faz de tudo para afundar o filme, tentando fazer um paralelo forçado entre o começo de carreira da atriz (nos bastidores de filmagem de “O mágico de Oz”) e sua decadência (sua última turnê em Londres, pouco antes de sua morte), o roteirista quer forçar q o público entenda q todos os problemas da vida da atriz são decorrentes dos abusos sofridos pelo figurão da MGM, desde seus problemas com remédios, sono, insegurança até a necessidade de encontrar um lar (tal qual a Dorothy no filme). (Cont...) #judy #filmes #filme #cinema #cenacultural #oscars #oscars2020 #reneezellweger #judygarland #movies #cinefilos #cinefilo #cinephile #drama #cinebiografia #biografia #cultura #arte
  • Cinema – “Judy” de Rupert Goold
    Costumo odiar filmes biográficos, porque apelam para um sentimentalismo barato, costumam tratar os objetos de análise de forma caricatural e unidimensional e em vias de regra tem um pésssimo roteiro e algumas vezes se pautam basicamente em uma boa interpretação. Dito isso, tava esperando que este filme fosse uma bomba sem precedentes, que só tentasse se salvar por meio da performance de Renée Zellweger, e foi basicamente esse o sentimento que eu tive no final da sessão, mas o q eu não contava é q em vez de acabar odiando filme e performance, a atriz conseguiu salvar o filme de uma morte horrível, mas no máximo o deixou respirando por aparelhos, o que já é um milagre, posto que o roteiro do filme é uma das piores cinebiografias que eu já vi (só não é pior que Bohemian Rhapsody. Rs). Dito isso, Renée merece o Oscar q virá e todos os outros prêmios que vieram com esse filme, pois entrega não uma reencarnação de Judy Garland, mas uma interpretação autêntica com seus maneirismos, forma de andar, falar, e até dançando e cantando, muito embora sua potência vocal não chegue aos pés de Judy.
    Vamos ao enredo: Inverno de 1968. Com a carreira em baixa, Judy Garland (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres, por mais que tal trabalho a mantenha afastada dos filhos menores. Ao chegar ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.
    O roteiro por sua vez faz de tudo para afundar o filme, tentando fazer um paralelo forçado entre o começo de carreira da atriz (nos bastidores de filmagem de “O mágico de Oz”) e sua decadência (sua última turnê em Londres, pouco antes de sua morte), o roteirista quer forçar q o público entenda q todos os problemas da vida da atriz são decorrentes dos abusos sofridos pelo figurão da MGM, desde seus problemas com remédios, sono, insegurança até a necessidade de encontrar um lar (tal qual a Dorothy no filme). (Cont...) #judy #filmes #filme #cinema #cenacultural #oscars #oscars2020 #reneezellweger #judygarland #movies #cinefilos #cinefilo #cinephile #drama #cinebiografia #biografia #cultura #arte
  • 41 9 5 February, 2020
  • JUDY
oscar 2020
.
.
"“Que um coração não se julga por quanto você ama, mas por quanto você é amado pelos outros”
― O Mágico de Oz"
.
.
Essa frase do musical de 1939 fala muito do quanto #JudyGarland foi amada. E é com essa frase termina a cinebiografia que retrata parte de sua vida.
.
.
Filmes biográficos não arriscam muito, por vezes tem a mesma forma de contar a vida de seu biografado. Com Judy não foi diferente. A historia da cantora por se já é triste, de fato é um roteiro dramatico pronto. O que parece é que artistitas talentosos e unicos assim são sugados ao extremo até perder seu brilho, até não ter mais forças para lutar. É doloroso. .
.
#reneezellweger foi indicada a melhor atriz por esse papel e segue como favorita. E tem muita chance de levar a estatueta pra casa. Sua interpretaçção de Judy Garland nos rouba as emoções, nos tira tristezas e nos faz pensar sobre a vida. Não é uma copia das divas dos musicais, soa mais com uma real homenagem. Torço por sua vitoria.
.
.
Conhecia sim Judy, mas ao ver o filme pesquisei mais sobre sua carreira e ela foi uma mulher que viveu para alegrar muitos e lutou para alegrar a se mesma. .
.
#Judy #cinebiografia #oscar2020 #senaemcena Instagram @senaemcena
  • JUDY
    oscar 2020
    .
    .
    "“Que um coração não se julga por quanto você ama, mas por quanto você é amado pelos outros”
    ― O Mágico de Oz"
    .
    .
    Essa frase do musical de 1939 fala muito do quanto #JudyGarland foi amada. E é com essa frase termina a cinebiografia que retrata parte de sua vida.
    .
    .
    Filmes biográficos não arriscam muito, por vezes tem a mesma forma de contar a vida de seu biografado. Com Judy não foi diferente. A historia da cantora por se já é triste, de fato é um roteiro dramatico pronto. O que parece é que artistitas talentosos e unicos assim são sugados ao extremo até perder seu brilho, até não ter mais forças para lutar. É doloroso. .
    .
    #reneezellweger foi indicada a melhor atriz por esse papel e segue como favorita. E tem muita chance de levar a estatueta pra casa. Sua interpretaçção de Judy Garland nos rouba as emoções, nos tira tristezas e nos faz pensar sobre a vida. Não é uma copia das divas dos musicais, soa mais com uma real homenagem. Torço por sua vitoria.
    .
    .
    Conhecia sim Judy, mas ao ver o filme pesquisei mais sobre sua carreira e ela foi uma mulher que viveu para alegrar muitos e lutou para alegrar a se mesma. .
    .
    #Judy #cinebiografia #oscar2020 #senaemcena Instagram @senaemcena
  • 20 0 3 February, 2020
  • BAFTA 2020 🏆
O BAFTA de "Melhor Atriz" foi para Renée Zellweger (Judy).
  • BAFTA 2020 🏆
    O BAFTA de "Melhor Atriz" foi para Renée Zellweger (Judy).
  • 19 1 2 February, 2020
  • .
Judy é uma estória trágica, de uma atriz condenada à escravidão de pertencer a um estúdio único, comandado pelo ditador L.B. Mayer, dono da MGM. No caso de Judy Garland, isso começou desde sua infância, onde sua facilidade em cantar, aliada de um charme pessoal, tornou inesquecível sua atuação no filme O mágico de Oz, onde interpreta a pequena Dorothy, que canta a música tema Over the rainbow.

O filme focaliza seu período em Londres, para uma temporada musical, e solucionar suas pendências financeiras. Ali espera arrecadar o suficiente para comprar uma casa para ela e seus dois filhos pequenos. Mas o álcool, as pílulas para dormir, e sua carência afetiva,  acabam com seus planos, e ela fica Londres.  Volta aos Estados Unidos e 6 meses depois morre, aos 47 anos apenas.

A atriz Renée Zelwegger, está maravilhosa , e sua interpretação comovente faz com que se esqueçam as falhas de um roteiro, que não conseguiu fazer a ponte entre a atriz criança,  a personagem Dorothy do filme O mágico de Oz e a mulher madura e decadente. Como numa tragédia grega, a busca da felicidade de Judy, enquanto criança comove, mas enquanto adulta, entristece. Somewhere over the rainbow, there is a land of happiness, where dreams come true ...
#musical #tragedia #drogas #cinebiografia
  • .
    Judy é uma estória trágica, de uma atriz condenada à escravidão de pertencer a um estúdio único, comandado pelo ditador L.B. Mayer, dono da MGM. No caso de Judy Garland, isso começou desde sua infância, onde sua facilidade em cantar, aliada de um charme pessoal, tornou inesquecível sua atuação no filme O mágico de Oz, onde interpreta a pequena Dorothy, que canta a música tema Over the rainbow.

    O filme focaliza seu período em Londres, para uma temporada musical, e solucionar suas pendências financeiras. Ali espera arrecadar o suficiente para comprar uma casa para ela e seus dois filhos pequenos. Mas o álcool, as pílulas para dormir, e sua carência afetiva, acabam com seus planos, e ela fica Londres. Volta aos Estados Unidos e 6 meses depois morre, aos 47 anos apenas.

    A atriz Renée Zelwegger, está maravilhosa , e sua interpretação comovente faz com que se esqueçam as falhas de um roteiro, que não conseguiu fazer a ponte entre a atriz criança, a personagem Dorothy do filme O mágico de Oz e a mulher madura e decadente. Como numa tragédia grega, a busca da felicidade de Judy, enquanto criança comove, mas enquanto adulta, entristece. Somewhere over the rainbow, there is a land of happiness, where dreams come true ...
    #musical #tragedia #drogas #cinebiografia
  • 12 3 31 January, 2020
  • ▪️ JUDY: MUITO ALÉM DO ARCO-ÍRIS | CRÍTICA
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A cinebiografia da atriz Judy Gardan, narra sobre o período em que Judy vai a Londres nos anos 60 para reerguer a sua carreira que não ia muito bem na América. A mudança e a distância a afastou dos filhos e, durante a turnê, ela enfrenta problemas íntimos que a levam a exagerar no consumo de álcool e remédios estimulantes para se manter ativa nos shows.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O filme revela pontos essenciais da trajetória de Judy até a fama. Além disso, mostra como suas decisões fomentaram diversos problemas pessoais ao longo da sua vida. A personagem é bastante insegurança e isso se agrava ainda mais com as produções das quais participou durante a carreira.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
O roteiro entrelaça momentos passados, do início de carreira de Judy, com fatos presentes da sua última turnê antes de falecer aos 47 anos. Já no início de sua carreira é possível notar o surgimento dos problemas psicológicos que a acompanham durante toda vida e carreira.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A trama consegue mostrar a ideia principal, mas os flashbacks entrando a todo momento deixou a história um tanto cansativa e excessivamente dramática. São poucos os momentos de alívio e felicidade da protagonista.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A atriz Renée Zellweger traz um esplendor ao filme com sua performance ao viver a Judy Gardan. Em conjunto com a equipe de maquiagem, Renée consegue transmitir o realismo visual da atriz que interpreta. Além de arrasar ao transmitir todas as nuances da solidão e sofrimento das escolhas de sua personagem.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
"Judy: Muito Além do Arco_Íris" homenageia carinhosamente a grande atriz do cinema Hollywoodiano Judy Gardan, retratando a dor e a felicidade sua trajetória tão curta. Um bom filme para ser emocionar.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Texto de @anmartta | Revisão de @anacristofari
  • ▪️ JUDY: MUITO ALÉM DO ARCO-ÍRIS | CRÍTICA
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    A cinebiografia da atriz Judy Gardan, narra sobre o período em que Judy vai a Londres nos anos 60 para reerguer a sua carreira que não ia muito bem na América. A mudança e a distância a afastou dos filhos e, durante a turnê, ela enfrenta problemas íntimos que a levam a exagerar no consumo de álcool e remédios estimulantes para se manter ativa nos shows.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    O filme revela pontos essenciais da trajetória de Judy até a fama. Além disso, mostra como suas decisões fomentaram diversos problemas pessoais ao longo da sua vida. A personagem é bastante insegurança e isso se agrava ainda mais com as produções das quais participou durante a carreira.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    O roteiro entrelaça momentos passados, do início de carreira de Judy, com fatos presentes da sua última turnê antes de falecer aos 47 anos. Já no início de sua carreira é possível notar o surgimento dos problemas psicológicos que a acompanham durante toda vida e carreira.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    A trama consegue mostrar a ideia principal, mas os flashbacks entrando a todo momento deixou a história um tanto cansativa e excessivamente dramática. São poucos os momentos de alívio e felicidade da protagonista.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    A atriz Renée Zellweger traz um esplendor ao filme com sua performance ao viver a Judy Gardan. Em conjunto com a equipe de maquiagem, Renée consegue transmitir o realismo visual da atriz que interpreta. Além de arrasar ao transmitir todas as nuances da solidão e sofrimento das escolhas de sua personagem.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    "Judy: Muito Além do Arco_Íris" homenageia carinhosamente a grande atriz do cinema Hollywoodiano Judy Gardan, retratando a dor e a felicidade sua trajetória tão curta. Um bom filme para ser emocionar.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    Texto de @anmartta | Revisão de @anacristofari
  • 23 1 30 January, 2020
  • HOJE NOS CINEMAS (30)
"Judy - Muito Além do Arco-Íris"
🎬Sinopse: Inverno de 1968. Com a carreira em baixa, Judy Garland (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres, por mais que tal trabalho a mantenha afastada dos filhos menores. Ao chegar ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.
🎬Direção: Rupert Goold
🎬Elenco: Renée Zellweger, Jessie Buckley, Finn Wittrock
  • HOJE NOS CINEMAS (30)
    "Judy - Muito Além do Arco-Íris"
    🎬Sinopse: Inverno de 1968. Com a carreira em baixa, Judy Garland (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres, por mais que tal trabalho a mantenha afastada dos filhos menores. Ao chegar ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.
    🎬Direção: Rupert Goold
    🎬Elenco: Renée Zellweger, Jessie Buckley, Finn Wittrock
  • 18 1 30 January, 2020
  • Uma coisa é certa sobre Judy: Muito Além do Arco Íris: a estrela da época de ouro do cinema merecia uma cinebiografia mais acachapante. O recorte trazido pelo diretor Rupert Goold é bem limitado no sentido de compreensão dos traumas da personagem, pra piorar, a edição abusa dos flashbacks para nos mostrar toda a carga dramática de seu início de carreira, e faz isso de maneira apressada. Estão ali, flutuando sem coesão, os traumas da infância, os abusos sofridos pelos chefões da MGM e o vício em medicamentos e outras drogas, e se a cantora enchia palcos no auge, por dentro ela se via cada vez mais vazia, principalmente nos últimos anos de sua vida.

O longa se passa no inverno de 1968, quando Judy (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres. Lá, ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.

Com uma narrativa superficial e desconjuntada, o filme vai dando voltas ao redor de Judy e seus traumas sem saber muito bem para onde ir, quando Zellweger não está em cena o filme cai drasticamente. Diferentemente de outras atuações em cinebiografias que tentam imitar figuras icônicas, Zellweger não se limita a copiar os trejeitos de Judy, carregando também toda a carga emocional de uma mulher bastante afetada pelos vícios e por suas inseguranças, quando ela sobe ao palco e solta a voz o filme atinge níveis elevados, ao menos o carinho e o respeito pela lenda são transmitidos.

Com tanta força em sua protagonista, todo o restante parece aquém dela, a direção de arte e a fotografia até tomam algumas decisões interessantes, principalmente quando explora jogos de luzes embaçados que iluminam uma artista em decadência e cenários tão consumidos pelo tempo quanto ela, no entanto, os coadjuvantes surgem sem muita força e qualquer minuto a mais dispensado neles parece uma perda de tempo, enquanto Zellweger é quem realmente comanda o show.

Em suma, Judy: Muito Além do Arco Íris é um longa com cara de telefilme que deverá ser lembrado somente pela atuação de Zellweger, que vem colecionando prêmios, mas como cinebiografia não faz jus a Judy Garland.
  • Uma coisa é certa sobre Judy: Muito Além do Arco Íris: a estrela da época de ouro do cinema merecia uma cinebiografia mais acachapante. O recorte trazido pelo diretor Rupert Goold é bem limitado no sentido de compreensão dos traumas da personagem, pra piorar, a edição abusa dos flashbacks para nos mostrar toda a carga dramática de seu início de carreira, e faz isso de maneira apressada. Estão ali, flutuando sem coesão, os traumas da infância, os abusos sofridos pelos chefões da MGM e o vício em medicamentos e outras drogas, e se a cantora enchia palcos no auge, por dentro ela se via cada vez mais vazia, principalmente nos últimos anos de sua vida.

    O longa se passa no inverno de 1968, quando Judy (Renée Zellweger) aceita estrelar uma turnê em Londres. Lá, ela enfrenta a solidão e os conhecidos problemas com álcool e remédios, compensando o que deu errado em sua vida pessoal com a dedicação no palco.

    Com uma narrativa superficial e desconjuntada, o filme vai dando voltas ao redor de Judy e seus traumas sem saber muito bem para onde ir, quando Zellweger não está em cena o filme cai drasticamente. Diferentemente de outras atuações em cinebiografias que tentam imitar figuras icônicas, Zellweger não se limita a copiar os trejeitos de Judy, carregando também toda a carga emocional de uma mulher bastante afetada pelos vícios e por suas inseguranças, quando ela sobe ao palco e solta a voz o filme atinge níveis elevados, ao menos o carinho e o respeito pela lenda são transmitidos.

    Com tanta força em sua protagonista, todo o restante parece aquém dela, a direção de arte e a fotografia até tomam algumas decisões interessantes, principalmente quando explora jogos de luzes embaçados que iluminam uma artista em decadência e cenários tão consumidos pelo tempo quanto ela, no entanto, os coadjuvantes surgem sem muita força e qualquer minuto a mais dispensado neles parece uma perda de tempo, enquanto Zellweger é quem realmente comanda o show.

    Em suma, Judy: Muito Além do Arco Íris é um longa com cara de telefilme que deverá ser lembrado somente pela atuação de Zellweger, que vem colecionando prêmios, mas como cinebiografia não faz jus a Judy Garland.
  • 127 9 30 January, 2020
  • Will Smith reinou aqui em casa nos últimos dias...rs. Assistimos de novo "Eu sou a lenda" (meodeos, esse filme é incrível), assitimos "Alladin" (lindo demais) e por último "Ali", cinebiografia de Muhammad Ali - o atleta que transcendeu sua condição de ídolo do esporte, para se tornar um idolo pop, político e, mais que tudo isso, um mito.🥊🥊
..
O filme conta a trajetória do boxeador, de 1964 a 1974, que enfrentou desafios tanto dentro quanto fora dos ringues. Campeão mundial dos pesos pesados aos 22 anos, Ali teve de enfrentar o preconceito racial e religioso, além do governo dos EUA, quando se recusou a servir o exército em plena guerra do Vietnã.
..
Para compor Muhammad Ali, tido como polêmico e fanfarrão, Will Smith, além de ter passado por uma rotina pesada de exercícios e chegar a 100 quilos, também teve que aprender a falar, gesticular e lutar como um verdadeiro campeão, numa atuação impressionante. ⭐⭐⭐⭐⭐
..
#ali #cinebiografia #muhammadali #willsmith #amazonprime #primevideo
  • Will Smith reinou aqui em casa nos últimos dias...rs. Assistimos de novo "Eu sou a lenda" (meodeos, esse filme é incrível), assitimos "Alladin" (lindo demais) e por último "Ali", cinebiografia de Muhammad Ali - o atleta que transcendeu sua condição de ídolo do esporte, para se tornar um idolo pop, político e, mais que tudo isso, um mito.🥊🥊
    ..
    O filme conta a trajetória do boxeador, de 1964 a 1974, que enfrentou desafios tanto dentro quanto fora dos ringues. Campeão mundial dos pesos pesados aos 22 anos, Ali teve de enfrentar o preconceito racial e religioso, além do governo dos EUA, quando se recusou a servir o exército em plena guerra do Vietnã.
    ..
    Para compor Muhammad Ali, tido como polêmico e fanfarrão, Will Smith, além de ter passado por uma rotina pesada de exercícios e chegar a 100 quilos, também teve que aprender a falar, gesticular e lutar como um verdadeiro campeão, numa atuação impressionante. ⭐⭐⭐⭐⭐
    ..
    #ali #cinebiografia #muhammadali #willsmith #amazonprime #primevideo
  • 4 0 29 January, 2020
  • ~
Almodóvar quer desabafar e ser abraçado, talvez precise de um pouco de atenção ou pena. O filme segue nessa vibe de lembrar o passado de outrora e se arrepender de erros, o que é bem emotivo, não nego. E muito caprichoso, também, claro. Se não for pela arte destacada em cores vivas é pela metalinguagem meio sutil, meio na cara, que ele emprega na narrativa.
Bandeiras é o próprio Almodóvar que não quer assinar sua obra e deixar outro fazer um monólogo. Cena bonita, também. Pede para que olhem para ele, mas não assume o desejo com força, realmente por algum capricho de artista.
Me parece que essa dor é mais simbólica quando fala da mãe do que quando rodeia pelo passado romântico. Seco, curto e grosso, com uma intenção de apreciar ou sentir um ciclo da vida. Não chega a funcionar como em O Irlandês, mas acerta os pontos quando é pra ser direto. Mas casa com uma ideia de "vida que segue" que se veste com uma frieza triste bem contemplativa. Chega a causar dúvida se a glória do título é sobre uma época passada ou sobre um orgulho da idade que chega.
Mas sim, acaba por ser muito mais estético e estiloso do que verdadeiro - o que não é necessariamente ruim, mas observando a imagem como um todo é curioso. Tem um pseudônimo (Bandeiras) que funciona muito bem graças ao talento do ator e tem essa vontade de realizar um conceito pela pequena surpresa do final que assina a metalinguagem como recurso estilístico glorioso. Agora é fazer fila pra perguntar pro Almodóvar se ele se sente bem. Senta aqui, tio, bora conversar.
~
🐎🐎🐎
#doregloria #painandglory #pedroalmodovar #antoniobanderas #oscars #2019 #2020 #cinebiografia #cinemaeuropeu #hollywood #drama #cinematography #criticadecine #eguadacritica
  • ~
    Almodóvar quer desabafar e ser abraçado, talvez precise de um pouco de atenção ou pena. O filme segue nessa vibe de lembrar o passado de outrora e se arrepender de erros, o que é bem emotivo, não nego. E muito caprichoso, também, claro. Se não for pela arte destacada em cores vivas é pela metalinguagem meio sutil, meio na cara, que ele emprega na narrativa.
    Bandeiras é o próprio Almodóvar que não quer assinar sua obra e deixar outro fazer um monólogo. Cena bonita, também. Pede para que olhem para ele, mas não assume o desejo com força, realmente por algum capricho de artista.
    Me parece que essa dor é mais simbólica quando fala da mãe do que quando rodeia pelo passado romântico. Seco, curto e grosso, com uma intenção de apreciar ou sentir um ciclo da vida. Não chega a funcionar como em O Irlandês, mas acerta os pontos quando é pra ser direto. Mas casa com uma ideia de "vida que segue" que se veste com uma frieza triste bem contemplativa. Chega a causar dúvida se a glória do título é sobre uma época passada ou sobre um orgulho da idade que chega.
    Mas sim, acaba por ser muito mais estético e estiloso do que verdadeiro - o que não é necessariamente ruim, mas observando a imagem como um todo é curioso. Tem um pseudônimo (Bandeiras) que funciona muito bem graças ao talento do ator e tem essa vontade de realizar um conceito pela pequena surpresa do final que assina a metalinguagem como recurso estilístico glorioso. Agora é fazer fila pra perguntar pro Almodóvar se ele se sente bem. Senta aqui, tio, bora conversar.
    ~
    🐎🐎🐎
    #doregloria #painandglory #pedroalmodovar #antoniobanderas #oscars #2019 #2020 #cinebiografia #cinemaeuropeu #hollywood #drama #cinematography #criticadecine #eguadacritica
  • 55 0 25 January, 2020
  • ~
Um dos mais esquecidos dessa edição sabe levar ao pé da letra a corrida pelo prêmio. Ou corrida pelo pedestal de maior ego masculino inflado, porque é disso que se trata. Uma competição para saber qual o homem mais teimoso e orgulhoso de si dentro do drama grandioso da disputa econômica ou simplesmente do patamar de "homem do ano". E nesse "saber levar a sério" do filme a briga é bem bagunçada como qualquer rixa entre machos suados ou adultos que ostentam um sentimento de honra da família.
É um esforço realmente dramático para fazer o bom papel na frente de outros ou para bater bem firme no peito que o território pertence a alguém. O protagonista quer mostrar isso ao filho, ao amigo, colegas de trabalho e principalmente a inimigos e empregadores. É bem evidente e até quase vergonhoso a atitude, tão explícita no ato da corrida que é tão importante. A ideia moralista de trabalho em equipe ficaria quase desfocada nessa imagem geral se não fosse em prol dessa mesma briga ou luta/corrida pelo ego - esse é sempre o mais importante e é materializado na figura do homem empresário que quer conquistar a confiança do chefe, que por sua vez quer ganhar da concorrência. E tudo partindo de um conceito de disputa entre homens que preferem o pódio pessoal para si do que o verdadeiro dito econômico. 
A premissa se ofusca numa ideia biográfica histórica que mascara a possibilidade do longa de se assumir como produto de ego masculino para simplesmente contar essa história honrosa de um piloto na cova de leões do mercado automobilístico. Letreiros e fotos reais para encerrar a jornada dramática são a gota d'água da lágrima masculina que quer aparentemente só nos dizer "olha como foi difícil e marcante essa vida do homem que venceu na história apesar dos pesares". Mas é bonito de assistir.
~
🐎🐎🐎
#fordvsferrari #jamesmangold #christianbale #mattdamon #johnbernthal #oscars #2019 #2020 #ford #ferrari #corrida #drama #cinebiografia #cinema #hollywood #criticadecinema #eguadacritica
  • ~
    Um dos mais esquecidos dessa edição sabe levar ao pé da letra a corrida pelo prêmio. Ou corrida pelo pedestal de maior ego masculino inflado, porque é disso que se trata. Uma competição para saber qual o homem mais teimoso e orgulhoso de si dentro do drama grandioso da disputa econômica ou simplesmente do patamar de "homem do ano". E nesse "saber levar a sério" do filme a briga é bem bagunçada como qualquer rixa entre machos suados ou adultos que ostentam um sentimento de honra da família.
    É um esforço realmente dramático para fazer o bom papel na frente de outros ou para bater bem firme no peito que o território pertence a alguém. O protagonista quer mostrar isso ao filho, ao amigo, colegas de trabalho e principalmente a inimigos e empregadores. É bem evidente e até quase vergonhoso a atitude, tão explícita no ato da corrida que é tão importante. A ideia moralista de trabalho em equipe ficaria quase desfocada nessa imagem geral se não fosse em prol dessa mesma briga ou luta/corrida pelo ego - esse é sempre o mais importante e é materializado na figura do homem empresário que quer conquistar a confiança do chefe, que por sua vez quer ganhar da concorrência. E tudo partindo de um conceito de disputa entre homens que preferem o pódio pessoal para si do que o verdadeiro dito econômico.
    A premissa se ofusca numa ideia biográfica histórica que mascara a possibilidade do longa de se assumir como produto de ego masculino para simplesmente contar essa história honrosa de um piloto na cova de leões do mercado automobilístico. Letreiros e fotos reais para encerrar a jornada dramática são a gota d'água da lágrima masculina que quer aparentemente só nos dizer "olha como foi difícil e marcante essa vida do homem que venceu na história apesar dos pesares". Mas é bonito de assistir.
    ~
    🐎🐎🐎
    #fordvsferrari #jamesmangold #christianbale #mattdamon #johnbernthal #oscars #2019 #2020 #ford #ferrari #corrida #drama #cinebiografia #cinema #hollywood #criticadecinema #eguadacritica
  • 78 6 24 January, 2020
  • O MIS (Museu de Imagem e Som) em São Paulo irá transmitir a cinebiografia de Elton John, Rocketman. O evento será gratuito e após a exibição terá um debate sobre o longa com os jornalistas Duda Leite, Guilherme Bryan, Pablo Miyazawa e Úrsula Passos. 
Para mais informações, acesse o site  https://www.mis-sp.org.br/

#EltonJohn #cinebiografia #museu #imagem #som #mis
  • O MIS (Museu de Imagem e Som) em São Paulo irá transmitir a cinebiografia de Elton John, Rocketman. O evento será gratuito e após a exibição terá um debate sobre o longa com os jornalistas Duda Leite, Guilherme Bryan, Pablo Miyazawa e Úrsula Passos.
    Para mais informações, acesse o site https://www.mis-sp.org.br/

    #EltonJohn #cinebiografia #museu #imagem #som #mis
  • 9 2 10 hours ago
  • Rockstars e seus/suas intérpretes nos respectivos filmes biográficos.
.
1. Val Kilmer como Jim Morrison em "The Doors"
2. Joaquim Phoenix como Johnny Cash em "Johnny & June"
3. Dakota Fanning como Cherie Currie em "The Runaways - Garotas do Rock"
4. Sam Riley como Ian Curtis em "Controle"
5. André 3000 como Jimi Hendrix em "Jimi: Tudo a Meu Favor"
6. Gary Oldman e Chloe Webb como Sid Vicious e Nancy Spungen em "Sid & Nancy - O Amor Mata"
7. Cate Blanchett como Bob Dylan em “Não Estou Lá"
8. Rami Malek como Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody"
9. Aaron Taylor-Johnson como John Lennon em "O Garoto de Liverpool"
10. Angela Bassett e Laurence Fishburne como Tina e Ike Turner em "Tina"
.
.
#cinema #cinebiografia #rock #rocknroll #thedoors #queen #60s #70s #80s #90s #filmes #biografia
  • Rockstars e seus/suas intérpretes nos respectivos filmes biográficos.
    .
    1. Val Kilmer como Jim Morrison em "The Doors"
    2. Joaquim Phoenix como Johnny Cash em "Johnny & June"
    3. Dakota Fanning como Cherie Currie em "The Runaways - Garotas do Rock"
    4. Sam Riley como Ian Curtis em "Controle"
    5. André 3000 como Jimi Hendrix em "Jimi: Tudo a Meu Favor"
    6. Gary Oldman e Chloe Webb como Sid Vicious e Nancy Spungen em "Sid & Nancy - O Amor Mata"
    7. Cate Blanchett como Bob Dylan em “Não Estou Lá"
    8. Rami Malek como Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody"
    9. Aaron Taylor-Johnson como John Lennon em "O Garoto de Liverpool"
    10. Angela Bassett e Laurence Fishburne como Tina e Ike Turner em "Tina"
    .
    .
    #cinema #cinebiografia #rock #rocknroll #thedoors #queen #60s #70s #80s #90s #filmes #biografia
  • 267 6 22 January, 2020
  • Baseado na peça musical End Of The Rainbow do inglês Peter Quilter, o filme acompanha os últimos meses de vida da atriz, cantora e bailarina americana Judy Garland antes de morrer por overdose de barbitúricos aos 47 anos de idade. Intercalado com flashbacks de sua adolescência nos bastidores de gravação do clássico O Mágico de Oz de 1939, vemos uma Judy desgastada, enfrentando uma fase de decadência tanto pessoal quanto profissional. 
Renée Zelweger já ganhou o Globo de Ouro, o Critics Choice Awards, o British Independent Film Award e o prêmio do sindicato dos atores por sua atuação como Judy Garland. Agora só falta nossa eterna Bridget Jones ser reconhecida no Oscar também. Já estamos na torcida! 
Já tem crítica minha no blog. Link na Bio. 
#renéewelweger #judygarland #judy #muitoalemdoarcoiris #dorothydomagicodeoz #cinebiografia #parisfilmes #filmes #críticas
  • Baseado na peça musical End Of The Rainbow do inglês Peter Quilter, o filme acompanha os últimos meses de vida da atriz, cantora e bailarina americana Judy Garland antes de morrer por overdose de barbitúricos aos 47 anos de idade. Intercalado com flashbacks de sua adolescência nos bastidores de gravação do clássico O Mágico de Oz de 1939, vemos uma Judy desgastada, enfrentando uma fase de decadência tanto pessoal quanto profissional.
    Renée Zelweger já ganhou o Globo de Ouro, o Critics Choice Awards, o British Independent Film Award e o prêmio do sindicato dos atores por sua atuação como Judy Garland. Agora só falta nossa eterna Bridget Jones ser reconhecida no Oscar também. Já estamos na torcida!
    Já tem crítica minha no blog. Link na Bio.
    #renéewelweger #judygarland #judy #muitoalemdoarcoiris #dorothydomagicodeoz #cinebiografia #parisfilmes #filmes #críticas
  • 14 2 22 January, 2020
  • SAG AWARDS 🏆
O prêmio de "Melhor Atriz" foi para Renée Zellweger • Judy!
  • SAG AWARDS 🏆
    O prêmio de "Melhor Atriz" foi para Renée Zellweger • Judy!
  • 26 1 20 January, 2020
  • Sinopse: os últimos meses da carreira de Judy Garland

Review: Judy é vista pelo roteiro, não como uma pessoa, mas sim como uma caricatura, o que dificulta quaisquer contato emocional que viéssemos a criar com a estrela. Seus trejeitos forçados e modo de expressar soam artificiais e são intensificados pela performance inconsistente de Renée Zellweger, transitando entre momentos dramaticamente precisos e eficazes e segmentos onde exagera nos gestos e cria uma versão de Garland que flerta com o satírico, o que demonstra como os prêmio pela sua performance foram precipitados. ●

Mas não é só a performance de Zellweger que atinge o caricatural, já que o roteiro faz questão de desempenhar esse papel, logo na sequência de abertura, onde vemos um longo monólogo do Louis B. Mayer para uma jovem Judy Garland que, além de artificial, é complementado por diálogos didáticos e óbvios e uma caracterização de Mayer mergulhada em clichês: o andar e postura que denota sua autoridade de uma forma exagerada indo até o fato de empunhar um charuto. Além de previsível em todas as batidas narrativas, o texto encontra a façanha de ser estupidamente explicativo, sempre delineando as informações com conversas expositivas e, por consequência, cansativas. ●

Adjetivo que serve para qualificar toda a natureza do projeto que, ao invés de se empenhar em contar uma história real de maneira fidedigna, procura em uma estrutura narrativa previsível, óbvia e manipulativa um campo confortável que evita a obra de se arriscar, tanto em linguagem, como nos contornos da trama. | Crítica completa em Breve ●

#judygarland #judy #judymuitoalémdoarcoíris #reneezellweger #cinebiografia #biography #biografia #drama
  • Sinopse: os últimos meses da carreira de Judy Garland

    Review: Judy é vista pelo roteiro, não como uma pessoa, mas sim como uma caricatura, o que dificulta quaisquer contato emocional que viéssemos a criar com a estrela. Seus trejeitos forçados e modo de expressar soam artificiais e são intensificados pela performance inconsistente de Renée Zellweger, transitando entre momentos dramaticamente precisos e eficazes e segmentos onde exagera nos gestos e cria uma versão de Garland que flerta com o satírico, o que demonstra como os prêmio pela sua performance foram precipitados. ●

    Mas não é só a performance de Zellweger que atinge o caricatural, já que o roteiro faz questão de desempenhar esse papel, logo na sequência de abertura, onde vemos um longo monólogo do Louis B. Mayer para uma jovem Judy Garland que, além de artificial, é complementado por diálogos didáticos e óbvios e uma caracterização de Mayer mergulhada em clichês: o andar e postura que denota sua autoridade de uma forma exagerada indo até o fato de empunhar um charuto. Além de previsível em todas as batidas narrativas, o texto encontra a façanha de ser estupidamente explicativo, sempre delineando as informações com conversas expositivas e, por consequência, cansativas. ●

    Adjetivo que serve para qualificar toda a natureza do projeto que, ao invés de se empenhar em contar uma história real de maneira fidedigna, procura em uma estrutura narrativa previsível, óbvia e manipulativa um campo confortável que evita a obra de se arriscar, tanto em linguagem, como nos contornos da trama. | Crítica completa em Breve ●

    #judygarland #judy #judymuitoalémdoarcoíris #reneezellweger #cinebiografia #biography #biografia #drama
  • 65 11 17 January, 2020
  • #tbtnocinema Ontem eu estava lembrando das cinebiografias que eu já assisti, e do quanto eu gosto do gênero, até que me veio um sentimento muito forte de escrever sobre o filme “Frida”, a cinebiografia hollywoodiana que dramatiza a vida da artista Frida Kahlo. Já que entramos em clima de Oscar, vale enaltecer que esse longa foi indicado em 5 categorias, levando duas estatuetas nas categorias: trilha sonora original e maquiagem e penteado. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
No papel de Frida, Salma Hayek incorporou a persona intensa, política, revolucionária e livre que foi essa artista símbolo atual de força e expressão feminina. O filme retrata a transformação de Frida que, após sofrer um acidente de ônibus que envolveu um processo de cura terrível, uniu sua dor aos pincéis para criar obras de arte surrealistas. A narrativa fala também sobre o seu relacionamento conturbado com o famoso pintor mexicano Diego Rivera, destacando suas nuances, sua liberdade sexual e seu estilo único de se vestir, inspirado no traje típico das mulheres de Istmo de Tehuantepec .
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
A bela direção de arte, figurino, escolha de cores que expressam a gama de sentimentos vividos pela artista, são alguns dos motivos que me atraem nesse filme. Para ilustrar, coloquei lado a lado Frida e Salma, pois, ambas representam força, cada uma em seu estilo de arte. 🌹
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
📷: Pinterest
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
*Disponível na Netflix.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
#fridakahlo #filmefridakahlo #pintoresmexicanos #feminismo #feminista #girlpower #artistaplástico #artemexicana #autorretrato #méxico #fridakahloquotes #fridakahloart #fridakahlostyle #fridakahlofrases #fridakahloinspired #fridainspired #filmefrida #cinebiografia #moviefrida #salmahayek #oscarwinner #thegeekoficial #alfredmolina #julietaymor #netflixmovies #fridafeminista #oscar2020
  • #tbtnocinema Ontem eu estava lembrando das cinebiografias que eu já assisti, e do quanto eu gosto do gênero, até que me veio um sentimento muito forte de escrever sobre o filme “Frida”, a cinebiografia hollywoodiana que dramatiza a vida da artista Frida Kahlo. Já que entramos em clima de Oscar, vale enaltecer que esse longa foi indicado em 5 categorias, levando duas estatuetas nas categorias: trilha sonora original e maquiagem e penteado. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    No papel de Frida, Salma Hayek incorporou a persona intensa, política, revolucionária e livre que foi essa artista símbolo atual de força e expressão feminina. O filme retrata a transformação de Frida que, após sofrer um acidente de ônibus que envolveu um processo de cura terrível, uniu sua dor aos pincéis para criar obras de arte surrealistas. A narrativa fala também sobre o seu relacionamento conturbado com o famoso pintor mexicano Diego Rivera, destacando suas nuances, sua liberdade sexual e seu estilo único de se vestir, inspirado no traje típico das mulheres de Istmo de Tehuantepec .
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    A bela direção de arte, figurino, escolha de cores que expressam a gama de sentimentos vividos pela artista, são alguns dos motivos que me atraem nesse filme. Para ilustrar, coloquei lado a lado Frida e Salma, pois, ambas representam força, cada uma em seu estilo de arte. 🌹
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    📷: Pinterest
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    *Disponível na Netflix.
    ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
    #fridakahlo #filmefridakahlo #pintoresmexicanos #feminismo #feminista #girlpower #artistaplástico #artemexicana #autorretrato #méxico #fridakahloquotes #fridakahloart #fridakahlostyle #fridakahlofrases #fridakahloinspired #fridainspired #filmefrida #cinebiografia #moviefrida #salmahayek #oscarwinner #thegeekoficial #alfredmolina #julietaymor #netflixmovies #fridafeminista #oscar2020
  • 210 36 16 January, 2020