#lojasemaracaju Instagram Photos & Videos

lojasemaracaju - 67 posts

Top Posts

Advertisements

Advertisements

Advertisements

Latest Instagram Posts

Advertisements

Advertisements

Advertisements

Advertisements

  • Ela apareceu no verão de 2017 e continua com tudo! A pantacourt imprime feminilidade sem que abramos mão de conforto, mas ainda gera dúvidas sobre o seu uso e como combiná-la corretamente: 
Qual forma se adapta melhor ao seu biotipo: Pera, Retângulo, Ampulheta, Oval. No que as mulheres, especialmente as pequenas ou grandes, devem prestar atenção? 
Quanto mais longa a Pantacourt e mais curtas as suas pernas, os sapatos com salto alto são necessários. Mulheres fortes e com volume corporal devem usá-la sempre com salto, p/ obter um efeito alongado. Este, no entanto, pode ser igualmente confortável, grosso ou até spadrille - que também está em alta. 
Pera - o salto alto é necessário, para garantir um visual proporcional. 
Complete com um top de mais de volume, inserido dentro da calça ou que e repouse sobre o quadril. Não deixe a cintura muito marcada, pois aumentará a parte inferior do corpo. Opte por tons mais escuros. Linhas verticais são sempre bem vindas! Quanto mais soltinha no quadril, com um bolso faca e perna mais larga, mais harmoniosa. 
Retângulo: P/ a mulher com biotipo Retângulo, a calça de boa largura e encorpada é excelente, pois molda e traz volume ao corpo, fazendo com que a cintura pareça mais estreita, acrescentando feminilidade. Marque bem sua cintura! Você pode e deve!
Biotipo Oval: opte por tipos mais curtos e tecidos leves, com bom caimento e cores mais escuras. Escolha tops com decotes em -ele alonga a silhueta e tira o foco da cintura. Puxe o olhar do espectador p/ o alto. Usar colete é muito interessante
Ampulheta: a pantacourt é bastante indicada p/ esse biotipo. O comprimento e a altura dos saltos depende do comprimento de suas pernas (se mais longas, permitem uma bainha mais longa - quase nos tornozelos. Isso, por sua vez, requer saltos mais altos). Se optar por tênis ou rasteiras, prefira a bainha mais curta. 
Triângulo Invertido: a mulher pode equilibrar seus ombros largos com uma calça mais larga. 
As baixinhas devem optar por modelos mais curtos ou muito longos - ambos com o menor volume e vincos possíveis. Se escolher uma de corte longo, precisa de saltos mais altos. O cós deve ser na altura da cintura. 
#moda #fashion #dicasdemoda
  • Ela apareceu no verão de 2017 e continua com tudo! A pantacourt imprime feminilidade sem que abramos mão de conforto, mas ainda gera dúvidas sobre o seu uso e como combiná-la corretamente:
    Qual forma se adapta melhor ao seu biotipo: Pera, Retângulo, Ampulheta, Oval. No que as mulheres, especialmente as pequenas ou grandes, devem prestar atenção?
    Quanto mais longa a Pantacourt e mais curtas as suas pernas, os sapatos com salto alto são necessários. Mulheres fortes e com volume corporal devem usá-la sempre com salto, p/ obter um efeito alongado. Este, no entanto, pode ser igualmente confortável, grosso ou até spadrille - que também está em alta.
    Pera - o salto alto é necessário, para garantir um visual proporcional.
    Complete com um top de mais de volume, inserido dentro da calça ou que e repouse sobre o quadril. Não deixe a cintura muito marcada, pois aumentará a parte inferior do corpo. Opte por tons mais escuros. Linhas verticais são sempre bem vindas! Quanto mais soltinha no quadril, com um bolso faca e perna mais larga, mais harmoniosa.
    Retângulo: P/ a mulher com biotipo Retângulo, a calça de boa largura e encorpada é excelente, pois molda e traz volume ao corpo, fazendo com que a cintura pareça mais estreita, acrescentando feminilidade. Marque bem sua cintura! Você pode e deve!
    Biotipo Oval: opte por tipos mais curtos e tecidos leves, com bom caimento e cores mais escuras. Escolha tops com decotes em -ele alonga a silhueta e tira o foco da cintura. Puxe o olhar do espectador p/ o alto. Usar colete é muito interessante
    Ampulheta: a pantacourt é bastante indicada p/ esse biotipo. O comprimento e a altura dos saltos depende do comprimento de suas pernas (se mais longas, permitem uma bainha mais longa - quase nos tornozelos. Isso, por sua vez, requer saltos mais altos). Se optar por tênis ou rasteiras, prefira a bainha mais curta. 
    Triângulo Invertido: a mulher pode equilibrar seus ombros largos com uma calça mais larga.
    As baixinhas devem optar por modelos mais curtos ou muito longos - ambos com o menor volume e vincos possíveis. Se escolher uma de corte longo, precisa de saltos mais altos. O cós deve ser na altura da cintura.
    #moda #fashion #dicasdemoda
  • 67 5 17 December, 2018

Advertisements

  • A saia MIDI surgiu por volta de 1920. No entanto, o tamanho dela foi subindo aos poucos, a fim de facilitar a vida das mulheres, que acabavam de entrar no mercado de trabalho. 
Após alguns anos de “amargura e esquecimento” da nossa queridinha, Christian Dior lançou, em 1947, sua primeira coleção feminina pela ‘The House of Dior’, chamada ‘Carolle’, na qual a peça principal era a saia na altura dos tornozelos, batizada de ‘New Look’. A saia midi com movimento e volume foi o ápice de Dior após a 2ª Gerra Mundial, uma resposta aos modelos retos e sóbrios usados durante o período de guerra.

A peça se tornou ícone dos anos 50, trazendo glamour, luxo, elegância e sofisticação a moda. Ela foi responsável por fazer a moda francesa brilhar novamente em um período de readaptação e sobriedade causados pelo longo período de guerra, onde as roupas eram extremamente simples e minimalistas.

Depois de muitas críticas, o estilo criado por Dior caiu do gosto e nos corações das mulheres de todo o mundo, que buscavam nos seus modelos feminilidade e luxo. Foi por este motivo que se afixou como a peça ícone juntamente com o movimento ‘Shape LadyLike’ (onde os vestidos tinham a cintura bem marcada e a saia rodada com bastante volume) da década e é reconhecida até hoje como um marco na história da moda, sendo amada até a atualidade. 
#moda #modafeminina #historiadamoda #newcollection #dior
  • A saia MIDI surgiu por volta de 1920. No entanto, o tamanho dela foi subindo aos poucos, a fim de facilitar a vida das mulheres, que acabavam de entrar no mercado de trabalho.
    Após alguns anos de “amargura e esquecimento” da nossa queridinha, Christian Dior lançou, em 1947, sua primeira coleção feminina pela ‘The House of Dior’, chamada ‘Carolle’, na qual a peça principal era a saia na altura dos tornozelos, batizada de ‘New Look’. A saia midi com movimento e volume foi o ápice de Dior após a 2ª Gerra Mundial, uma resposta aos modelos retos e sóbrios usados durante o período de guerra.

    A peça se tornou ícone dos anos 50, trazendo glamour, luxo, elegância e sofisticação a moda. Ela foi responsável por fazer a moda francesa brilhar novamente em um período de readaptação e sobriedade causados pelo longo período de guerra, onde as roupas eram extremamente simples e minimalistas.

    Depois de muitas críticas, o estilo criado por Dior caiu do gosto e nos corações das mulheres de todo o mundo, que buscavam nos seus modelos feminilidade e luxo. Foi por este motivo que se afixou como a peça ícone juntamente com o movimento ‘Shape LadyLike’ (onde os vestidos tinham a cintura bem marcada e a saia rodada com bastante volume) da década e é reconhecida até hoje como um marco na história da moda, sendo amada até a atualidade.
    #moda #modafeminina #historiadamoda #newcollection #dior
  • 378 23 5 December, 2018

Advertisements